sábado, 23 de junho de 2012

Banco de Questões: Segundo Reinado




1. (Mackenzie-SP) Contribuíram decisivamente para o surto industrial de meados do século XIX, conhecido como “Era Mauá”:
a)    a sólida política industrial, implantada pelo governo monárquico;
b)    a extinção do tráfico negreiro, que liberou capitais, bem como a Tarifa Alves Branco e os lucros obtidos com o café;
c)    o crescimento do mercado interno, devido à bem sucedida política criada pelo sistema de parceria;
d)    o apoio da elite agrária, grande incentivadora das atividades industriais;
e)    o desenvolvimento tecnológico, a qualidade da mão-de-obra e a Tarifa Silva Ferraz.

2. (Cesgranrio) A expansão da agricultura cafeeira no Oeste Paulista após 1880 introduziu uma série de mudanças na economia e nas relações sociais da Região Sudeste, entre as quais se destaca:
a)    o reforço das relações escravistas no interior das fazendas cafeicultoras, pois os escravos transferidos das fazendas açucareiras do Nordeste eram a maioria absoluta da mão-de-obra nas plantações do Oeste Paulista;
b)    o desenvolvimento de uma política governamental de distribuição de pequenas propriedades às famílias imigrantes, que plantavam café a baixos custos e o vendiam a menores preços no mercado internacional;
c)    a coexistência de grandes propriedades escravistas e monocultoras de café para exportação e pequenas propriedades de famílias imigrantes, que produziam gêneros de subsistência para os mercados urbanos;
d)    o desenvolvimento de uma política governamental de subvenção à imigração, cujo objetivo era estimular o investimento, por parte dos imigrantes, de capitais na construção de estradas de ferro e nas indústrias nascentes;
e)    a substituição do trabalho escravo pelo trabalho livre de imigrantes europeus no interior das fazendas cafeicultoras, o que permitiu uma maior lucratividade do capital cafeeiro e seu investimento em estradas de ferro, no comércio e em indústrias.

3. (UFBA) A cultura do café não apenas solucionou a crise econômica dos meados do século XIX, como possibilitou o seguinte ou os seguintes desdobramentos:
(1) Implantação e desenvolvimento de um sistema ferroviário com vistas a minimizar os sérios problemas de transporte.
(2) Introdução do trabalho livre como forma de suprir a escassez de mão-de-obra decorrente da extinção do tráfico de escravos.
(4) Dinamização das atividades comerciais de importação e exportação, possibilitando o desenvolvimento do sistema bancário.
(8) Ruptura da sociedade patriarcal tradicionalista, ocasionando o declínio dos proprietários de terra.
(16) Extinção do modelo agrário-escravista-exportador, como resultado do surto industrial ocorrido no período.
(32) Aparecimento e desenvolvimento de núcleos urbanos como resultado da complexidade crescente dos empreendimentos comerciais.

Dê como resposta a soma dos itens corretos. ( __ )

4. (Cesgranrio) "Na segunda metade do século XIX e particularmente os últimos anos do Império, é inegável que o setor urbano da economia tenha começado a atingir um desenvolvimento e uma importância capazes de diferenciá-la significativamente do setor rural (...). O grande fazendeiro paulista fazia parte de uma dinâmica econômica muito mais próxima daquilo que chamaríamos de Capitalismo. Mais acostumado com as finanças, com os créditos, possuía seus próprios esquemas de comercialização do café, não vivia nas fazendas, mas tinha sua residência nas vistosas mansões dos Campos Elísios ou de Higienópolis, na cidade de São Paulo.” (Ricardo Maranhão e Antonio Mendes Jr. Brasil Histórico)

A partir dos seus conhecimentos e da leitura do texto, deduz-se que o cultivo do café não possibilitou;
a)    um predomínio econômico dos plantadores paulistas sobre os plantadores fluminenses;
b)    um crescimento urbano populacional significativo;
c)    um atrelamento dos fazendeiros paulistas aos setores mais dinâmicos da produção;
d)    uma instrumentalização do comércio praticada pelas camadas médias da sociedade;
e)    um ganho nos “foros de nobreza”, mesmo que não pelo nascimento, pelos fazendeiros paulistas.

5. (Unirio) O envolvimento do Brasil em sucessivos conflitos na região platina, na segunda metade do século XIX, pode ser explicado pelo(a):
a)    tradicional rivalidade entre Brasil e Argentina com vistas ao controle do Estuário do Prata, culminando com a derrubada de Rosas naquele país;
b)    neutralidade do Império em relação à política uruguaia, obrigação assumida quando da independência da Cisplatina;
c)    independência do Paraguai, apoiada pela Argentina, e suas pretensões expansionistas sobre o território brasileiro;
d)    apoio inglês à restauração do Vice-Reino do Prata, criando uma unidade de domínio na região;
e)    conflito do Império Brasileiro com os países platinos em torno da competição no comércio de produtos pecuários.

6. (UFV-MG) Em 1997 o Brasil comemorou 150 anos de nascimento de Castro Alves, um poeta baiano, cujos versos simbolizam a luta pela liberdade e contra a escravidão. Com relação à escravidão e à estrutura social no Brasil, é incorreto afirmar que:
a)    houve um processo gradual de abolição da escravidão a partir de 1850 com o fim do tráfico negreiro;
b)    a mão-de-obra escrava representava a base de sustentação da economia colonial e também do Império;
c)    havia um grande contingente de homens livres e pobres vivendo sob a dependência dos grandes senhores de terra;
d)    a abolição da escravidão foi precedida de medidas restringindo o acesso à terra e ao direito de voto;
e)    a abolição da escravidão em maio de 1888 foi precedida de uma ampla discussão na sociedade, bem corno da adoção de medidas no sentido de incorporar os futuros libertos à estrutura econômica, social e política nacional.

7. (Enem) Você está estudando abolicionismo no Brasil e ficou perplexo ao ler o seguinte documento:

Texto 1
Discurso do deputado baiano Jerônimo Sodré Pereira – Brasil, 1879

No dia 5 de março de 1879, o deputado baiano Jerônimo Sodré Pereira, discursando na Câmara, afirmou que era preciso que o poder público olhasse para a condição de um milhão de brasileiros, que jazem ainda no cativeiro. Nessa altura do discurso foi aparteado por um deputado que disse: "BRASILEIROS, NÃO”.

Em seguida, você tomou conhecimento da existência do Projeto Axé (Bahia), nos seguintes termos:

Texto 2
Projeto Axé, Lição de cidadania – 1998 – Brasil
Na língua africana iorubá, axé significa força mágica. Em Salvador, Bahia, o Projeto Axé conseguiu fazer, em apenas três anos, o que sucessivos governos não foram capazes: a um custo dez vezes inferior ao de projetos governamentais, ajuda meninos e meninas de rua a construírem projetos de vida, transformando-os de pivetes em cidadãos. A receita do Axé é simples: competência pedagógica, administração eficiente, respeito pelo menino, incentivo, formação e bons salários para os educadores. Criado em 1991 pelo advogado e pedagogo italiano Cesare de Florio La Rocca, o Axé atende hoje a mais de duas mil crianças e adolescentes. A cultura afro, de forte presença na Bahia, dá o tom do Projeto Erê (entidade criança do candomblé), a parte cultural do Axé. Os meninos participam da banda mirim do Olodum, do llê Ayê e de outros blocos, jogam capoeira e têm um grupo de teatro. Todas as atividades são remuneradas; além da bolsa semanal, as crianças têm alimentação, uniforme e vale-transporte.

Com a leitura dos dois textos, você descobriu que a cidadania:
a)    jamais foi negada aos cativos e aos seus descendentes;
b)    foi obtida pelos ex-escravos tão logo a abolição foi decretada;
c)    não era incompatível com a escravidão;
d)    ainda hoje continua incompleta para milhões de brasileiros;
e)    consiste no direito de eleger deputados.


1.  (UFRJ) “A missão do governo, e principalmente do governo que representa o princípio conservador, não é guerrear e exterminar famílias, antipatizar com nomes, destruir influências que se fundam na grande propriedade, na riqueza, nas importâncias sociais; a missão de um governo conservador deve ser aproveitar essas influências no interesse público, identificá-las com a monarquia e com as instituições, dando-lhes prova de confiança para que possa dominá-las e neutralizar suas exagerações. Se representais o princípio conservador, como quereis destruir a influência que se funda na grande propriedade?” (Nabuco de Araújo, 1853; citado por Joaquim Nabuco, Um Estadista do Império, 4ª ed., 1975, p. 145)

No documento anterior, Nabuco de Araújo, um dos nomes mais expressivos da elite política imperial, revela uma preocupação com as dissidências que haviam proporcionado grande desgaste para o regime monárquico e conclama seus correligionários a lutar pela manutenção das estruturas.
a) Cite dois elementos da estrutura econômica do Brasil Império complementares à grande propriedade.
b) Explique em que consistiu a política de conciliação adotada pelo governo monárquico no Segundo Reinado.

Dica: aproveite, consulte uma biografia de Nabuco Araújo.

2. (Fuvest) É possível defender a tese de que o café é um produto que ao mesmo tempo facilitou e dificultou o início da industrialização no Brasil. Argumente sobre esta tese.

3. (Fuvest) “... esta estrada de ferro, que se abre hoje ao trânsito público, é apenas o primeiro passo de um pensamento grandioso. Esta estrada, Senhor (D. Pedro II), não deve parar e, se puder contar com a proteção de Vossa Majestade, seguramente não parará senão quando tiver assentado a mais espaçosa de suas estações às margens do rio das Velhas.” (Barão de Mauá, na inauguração da estrada de ferro Rio-Petrópolis, em 1854).
Com base no texto, comente o processo de modernização no Brasil e explicite a posição de Mau[a nesse processo.

Dica: não deixe de ler uma biografia do Barão de Mauá.

4. (Fuvest) Analise duas conseqüências da Guerra do Paraguai para a vida interna do Brasil.


5. (Unicamp) Uma jogadora de vôlei do Brasil nas Olimpíadas de Sidney fez esta declaração à imprensa: “Agora vamos pegar as cubanas, aquelas negas, e vamos ganhar delas” (O Estado de São Paulo, 27/9/2000). Ainda segundo o jornal: “A coordenadora do Programa dos Direitos Humanos do Instituto da Mulher Negra classifica as palavras da atacante como preconceituosas e alerta as autoridades para erradicarem esse tipo de comportamento, combatendo o racismo.”

a) Compare os processos de colonização ocorridas em Cuba e no Brasil, apontando suas semelhanças.
b) Qual a atividade econômica predominante em Cuba e no Nordeste brasileiro durante a colonização e suas relações com o comércio internacional?
c) Qual a condição social dos negros no Brasil depois do fim da escravidão?

Dica óbvia: você deverá consultar material sobre a história de Cuba... De qualquer maneira duas palavrinhas para a questão “b”: açúcar e escravos...

Um comentário: